Banner

sábado, 16 de junho de 2012

IGREJA CATOLICA X PEDOFILIA





ETIMOLOGIA DA PALAVRA PEDOFILO

Pedófilo, palavra de origem grega, significa literalmente “amigo da criança”. Numa interpretação simples e direta, “pedófilo” deveria ser apenas um sentimento de amizade, de um adulto por um ser humano ainda pequenino, em formação, seja menino ou menina. Ocorre, porém, que o pedófilo vê mais do que uma simples amizade na criança e no adolescente. Vê neles um objeto que poderá ser disposto para uso sexual. Mas, quem são, hoje, os pedófilos, os “amigos das crianças” que atuam por aí, além da meia dúzia de padres ultimamente apresentados nos noticiários para escárnio público?a pedofilia, antigamente, era cultuada por diversos povos, a exemplo dos gregos. Consta que filósofos gregos tratavam sexualmente seus discípulos como se fossem suas mulheres. O exército de alexandre, o grande – dizem historiadores –, era tão temível porque era incentivada a “amizade” entre os seus soldados. Lutando ombro a ombro (ou bunda a bunda, como diria um alegre gay), em duplas, cada um combatendo por sua vida e pela de sua “alma gêmea”, os soldados de alexandre eram insuperáveis, conquistaram todo o oriente médio e parte do sul da ásia. (na guerra do golfo, em 1991, os ingleses levaram para o deserto mais de 1 milhão de camisinhas. Como mulher era a última coisa que encontrariam naquelas paragens, teria a idéia sido copiada das hostes de alexandre, onde existia o “amor que não ousa dizer seu nome”? Ou temiam os britânicos que camelo também pode transmitir a aids?)nos países muçulmanos, ainda hoje é bastante comum a pedofilia. A mulher islâmica solteira precisa se resguardar, por isso é muito difícil que mantenha relação sexual antes do casamento. Muitas utilizam, no máximo, sua “poupança”, para não perderem o “selo” virginal, pois é comum o noivo exigir a mancha de sangue no lençol por ocasião da noite de núpcias como prova da virgindade de sua nova mulher. Por isso, com a falta generalizada de mulher, muitos homens islâmicos solteiros fazem uso de rapazes e meninos para sua iniciação sexual.

http://www.usinadeletras.com.br/exibelotexto.php?cod=1778&cat=Ensaios




MAIS UM PADRE PRESO NO BRASIL POR PEDOFILIA





Um padre, foi preso ontem, quinta-feira (14), por volta das 22:30 horas na cidade de Castanhal, no Pará, quando uma viatura da polícia suspeitou de um carro que estava parado em local ermo. Os policiais se aproximaram do veículo quando o padre Marcelo de Matos Tinoco, 29 anos, desceu se identificando como padre e dizendo estar sozinho, no entanto, quando os policiais continuaram a verificar o veículo, para espanto dos mesmos, havia em seu interior um menino de 12 anos, em condições de excitação sexual. O pároco confessou então estar acariciando o menino e implorou aos policiais que não registrassem a ocorrência dizendo que faria qualquer coisa.

Os policiais ignoraram aos pedidos do padre e o conduziu a delegacia o qual passou a noite em uma sala especial, sendo conduzido nesta manhã ao IML para exames e logo em seguida autuado no artigo 217 do Código Penal, por estupro de vulnerável.O Adolescente, era coroinha da igreja por quatro anos, sonhava ser sacerdote  e está agora recebendo ajuda psicológica.Padre Marcelo Tinoco, além de pároco da Catedral de Castanhal é o Coordenador do grupo de jovens da igreja, secretário diocesano e articulava eventos importantes da Igreja Católica no Estado.A população local está perplexa e os jovens que trabalhavam com o sacerdote ficaram surpresos, pois nunca notaram nenhum comportamento estranho no pároco.











PADRE SUSPEITO DE PEDOFILIA É CONDENADO POR PORTE ILEGAL DE ARMAS APÓS SER PRESO AO LADO DE MULHER NUA.






Padre Evangelista Moises de Figueiredo, 49 anos, ex-pároco da Igreja São Francisco de Assis, em São Sebastião, no Distrito Federal, foi condenado a 1 ano e três meses por porte ilegal de armas, mas como não tinha antecedentes criminais e depois de confessar que a arma era realmente sua, pois em primeiro momento havia dito ser de um pedreiro que trabalhou em sua casa, a juíza diminuiu a pena para 1 ano e a substituiu por pena restritiva de direitos, devendo prestar serviços a comunidade.
Na ocasião quando em que foi preso, 30 de dezembro de 2011, no condomínio Estância Del Rey, a polícia encontrou as armas e o pároco deitado em uma cama ao lado de uma mulher nua que disse aos policiais ter um relacionamento amoroso com ele já ha algum tempo.
A prisão do sacerdote, foi motivada por um mandato de busca e apreensão por pedofilia e abuso sexual de seis crianças, que segundo informações os crimes podem ter sido cometidos na casa das vítimas e também na casa dele. As crianças têm entre 6 e 14 anos e cinco são irmãos.

O que Chamou a atenção da polícia foi o fato de todos os relatos detalharem a mesma seqüência de fatos e situações, dando consistência às acusações. Como o pároco tinha a confiança dos pais, espectadores das missas que ele conduzia, não era incomum que as vítimas ficassem sozinhas com Evangelista tanto nas casas onde moravam quanto na residência do padre. O processo corre em segredo de justiça.

Nascido em Brejo Santo, no Ceará, Evangelista Moisés de Figueiredo é padre há 18 anos e atuava havia uma década na Igreja de São Francisco de Assis, na região de Tororó, no Jardim Botânico no Distrito Federal.



                                                         Anistia Internacional diz que pedofilia na igreja católica na Irlanda é comparada as torturas


A decisão partiu da 2ª Vara Criminal e se refere a crimes cometidos ainda no ano passado quando padre Dé, como era chamado pelos fiéis, dirigia a Paróquia São Vicente de Paulo, no Jardim Tropical. A condenação foi pelos crimes de estupro e atentado violento ao pudor.Como foi em primeira instância, a decisão ainda cabe recurso e pesou em favor do padre, para que continue livre, sua idade e o fato de até agora não oferecer risco de fuga. Durante o inquérito quatro adolescentes que atuavam ou que chegaram a atuar como coroinhas na igreja, na faixa entre 11 e 16 anos, contaram à polícia que foram molestados pelo religioso.A decisão saiu há quatro meses, mas somente agora se tornou pública porque corre em segredo de Justiça. O padre chegou a depor na CPI da Pedofilia do Senado Federal, que enviou representantes a Franca.O religioso está afastado desde o ano passado da igreja e também se nega a falar novamente sobre qualquer assunto que envolva as denúncias.Várias "dezenas de milhares de menores" foram abusados sexualmente na Igreja Católica na Holanda entre 1945 e 2010, e 800 supostos autores foram identificados, afirmou nesta sexta-feira uma comissão investigadora independente ao apresentar seu informe final.

Várias dezenas de milhares de menores enfrentaram formas leves, graves ou muito graves de condutas sexuais que ultrapassavam os limites entre 1945 e 2010 na Igreja católica holandesa", indicou um comunicado da comissão, cuja investigação teve início no dia 24 de agosto."Sobre a base de 1.795 casos, a comissão pôde encontrar os nomes de 800 autores de abusos sexuais que trabalham ou trabalharam para os arcebispados", indicou o informe da comissão."Destas 800 pessoas, ao menos 105 continuam vivas", acrescentou o informe."O problema dos abusos sexuais era conhecido pelas ordens [religiosas] e pelas dioceses da Igreja católica holandesa", indicou o informe da comissão."Mas não foram realizadas ações adequadas" para impedir isso, acrescentou o informe da comissão Deetman.A comissão Deetman, presidida pelo ex-ministro Wim Deetman, também é integrada por um juiz, um psicólogo e três professores universitários.No dia 9 de março de 2010, a conferência episcopal holandesa havia expressado seu desejo de que fosse realizada uma investigação "ampla, externa e independente" sobre os abusos sexuais cometidos por membros do clero.


Justiça condena padre de 76 anos por abusar de meninos em Franca

Pena é de 60 anos e oito meses de prisão, mas ele aguarda recurso em liberdade

A Justiça de Franca, no nordeste de São Paulo, condenou o padre José Afonso Dé, de 76 anos, a cumprir 60 anos e oito meses de prisão. A pena é em regime fechado, mas a defesa obteve um habeas corpus para que o religioso responda em liberdade enquanto aguarda o julgamento do recurso.
A decisão partiu da 2ª Vara Criminal e se refere a crimes cometidos ainda no ano passado quando padre Dé, como era chamado pelos fiéis, dirigia a Paróquia São Vicente de Paulo, no Jardim Tropical. A condenação foi pelos crimes de estupro e atentado violento ao pudor.Como foi em primeira instância, a decisão ainda cabe recurso e pesou em favor do padre, para que continue livre, sua idade e o fato de até agora não oferecer risco de fuga. Durante o inquérito quatro adolescentes que atuavam ou que chegaram a atuar como coroinhas na igreja, na faixa entre 11 e 16 anos, contaram à polícia que foram molestados pelo religioso.A decisão saiu há quatro meses, mas somente agora se tornou pública porque corre em segredo de Justiça. O padre chegou a depor na CPI da Pedofilia do Senado Federal, que enviou representantes a Franca.O religioso está afastado desde o ano passado da igreja e também se nega a falar novamente sobre qualquer assunto que envolva as denúncias.


Pedofilia da Igreja Católica toma repercussão mundial e denúncias aumentam


É incrível o aumento das denuncias dos casos de pedofilia cometidos por padres, pior é saber que a empresa religiosa de Santo Augustinho (Igreja Católica) não condena ninguém. Os casos se espalham pelo mundo, Suíça (5 casos), Irlanda (40 casos), México (1 caso), Estados Unidos (26 casos), França (2 casos), Itália (1 caso), Brasil (23 casos), Argentina (12 casos), Rússia (6 casos). enfim, todos os países que tem forte influencia católica estão se deparando com o aumento no número desenfreado de denuncias de pedofilia. Os números citados acima são os casos denunciados e estão em tramite na justiça comum e que a igreja católica não reconhece oficialmente.

No Brasil a igreja católica só reconhece 1 caso, mesmo com os casos de padres já condenados pela justiça normal. O Caso que chocou a cidade de Arapiraca-Alagoas teve o monsenhores Luiz Marques, Edílson Duarte e Raimundo Gomes, envolvidos em um escândalo sexual que ganhou divulgação através de um DVD vendido por camelos. Os envolvidos foram afastados das atividades religiosas pelo bispo Dom Valério Brêda. Os padres são acusados de pedofilia e de praticarem sexo com coroinhas. O bispo Valério Brêda, responsável pela diocese, se deslocou de Penedo até Arapiraca, onde leu uma carta durante a missa do sábado, na igreja Nossa Senhora do Carmo, determinando a suspensão dos párocos.


Em São Luiz do Maranhão a polícia prendeu em flagrante o padre Félix Barbosa Carreiro, 43 anos, acusado de pedofilia. A prisão aconteceu após uma denúncia anônima que ajudou a policia a chegar ao padre no momento que o mesmo estava em um quarto de motel mantendo relações sexuais com quatro jovens, dois de 17 anos e dois adolescentes de 13 e 15 anos.

A pergunta é, até quando nós cidadãos que trabalhamos e questionamos as coisas erradas a nosso redor vamos ficar de braços cruzados vendo as barbaridades que os padres fazem com nossos filhos?Acreditamos que a resposta que a sociedade espera da Igreja seja enérgica por parte do auto clero da Igreja Católica, Papa Bento XVI. Nada tem haver com a religião melhor ou pior que a outra ou acreditar ou não no senhor Jesus Cristo e nos vários santos, mas sim na maldade e aproveitamento de pessoas com perfil ruim que precisam ser condenadas pelo perverso crime de pedofilia.Fiquem de olhos bem abertos!


Padre é preso acusado de pedofilia no RS
A polícia gaúcha prendeu em flagrante na noite deste sábado (16) o padre Cláudio Dias Costa, de 37 anos, diretor de um colégio em Rio Grande (RS), a 310 quilômetros de Porto Alegre.





Ele foi detido dentro de um carro na garagem da escola, sob a suspeita de ter molestado sexualmente uma menina de 12 anos. O caso foi descoberto porque a jovem conseguiu fugir e entrou na igreja que fica ao lado da escola para pedir socorro. Acionada, a polícia encontrou o religioso ainda dentro do automóvel, onde também estava uma peça de roupa íntima da menor.“Foi realizada a prisão em flagrante por atentado violento ao pudor. Inclusive a testemunha que prestou socorro, encontrou a vítima sem as vestes íntimas”, disse a delegada Vanessa Pitrez.
A garota foi encaminhada para um abrigo, onde deve permanecer até que os pais sejam ouvidos.
“Como tinha um histórico de negligência da mãe, a menina não foi colocada na família e sim na instituição”, explicou Ana Torales, conselheira tutelar de Rio Grande, no RS.As investigações também identificaram outras duas menores que teriam sofrido abusos do religioso. Na tarde desta segunda-feira (18), os policiais apreenderam o computador do padre e o material escolar que ele costumava das às meninas.Ele teve a prisão preventiva decretada e deve permanecer na Penitenciária Estadual de Rio Grande até que inquérito seja encaminhado à Justiça. 

Suspensão


“Ele é suspenso preventivamente do ministério sacerdotal e, claro, das funções que ele exerce no colégio. A gente lamenta, é um caso muito grave, ainda mais no tempo da quaresma, tempo de conversão”, disse Dom José Mário Stroher, da Diocese de Rio Grande. 

A Igreja Católica, por sua vez, suspendeu o padre, que há um ano era responsável pelo colégio onde estudam quase 800 crianças e adolescentes. Bispo da cidade quer encaminha-lo para tratamento psicológico. 


Justiça condena 3 padres por pedofilia em AL a penas de 21 e 16 anos de prisão

Escândalo de pedofilia em Arapiraca é o maior envolvendo religiosos da Igreja Católica do País


Angela Lacerda, de O Estado de S. Paulo

RECIFE - O juiz da 1.ª Vara da Infância e da Juventude de Arapiraca (AL), João Luiz de Azevedo Lessa, condenou nesta segunda-feira, 19, por crime de pedofilia, três membros da Igreja Católica: monsenhor Luiz Marques Barbosa, de 83 anos, a 21 anos de prisão; monsenhor Raimundo Gomes, de 53, e o padre Edílson Duarte, de 45, a 16 anos e 4 meses de prisão. É o maior escândalo de pedofilia envolvendo a Igreja no País.Apesar da condenação, eles não foram presos. Segundo o juiz, os três são réus primários e cumpriram as determinações solicitadas pela Justiça. Após o recesso judiciário, os advogados dos réus serão notificados e terão cinco dias para recorrer.

A sentença só foi proferida após quase quatro meses do final do julgamento, adiado várias vezes por pedidos de diligência e ausência de testemunhas.

Os padres foram investigados após denúncias de ex-coroinhas que relataram abuso sexual dos religiosos contra crianças e adolescentes, em março de 2010. Um ex-coroinha, que diz ter sido vítima de monsenhor Barbosa, filmou às escondidas o sacerdote na cama com um outro coroinha, colega seu. As denúncias e o vídeo chocaram a cidade, a segunda maior de Alagoas, com população de 209 mil habitantes.

O bispo da diocese regional de Penedo, que engloba Arapiraca, Dom Valério Breda - que, segundo as vítimas, tinha ciência de tudo -, afastou os réus dois dias depois da eclosão do escândalo. Ele prometeu para a terça-feira, 20, a divulgação de uma nota oficial da diocese sobre a condenação judicial.

Conforme a denúncia do Ministério Público Estadual à Justiça, figuram como vítimas de abuso dos condenados Fabiano Silva Ferreira, de 21 anos, Cícero Flávio Vieira Barbosa, de 20, e Anderson Farias Silva, de 21. Eles foram os primeiros a serem ouvidos pelo juiz - que estava acompanhado do promotor do MPE, Alberto Tenório - durante o julgamento. Eles reafirmaram as denúncias de abusos ocorridos quando eram menores de idade.

De acordo com os autos do processo, as investigações apontaram que os padres prometiam vantagens econômicas aos coroinhas. Em um dos depoimentos da acusação, o caminhoneiro João Ferreira, que foi motorista de monsenhor Barbosa, disse que o condenado era carinhoso com os coroinhas, mas se deu conta de que ele abusava dos garotos depois de ver o vídeo. Os padres se dizem inocentes.

 Pedofilia em Lós Angeles

Em Los Angeles envolveu 508 supostas vítimas, em casos que remontam à década de 1940. Em 2003, a arquidiocese de Boston havia feito um acordo para indenizar 550 pessoas com 85 milhões de dólares. Em sua entrevista à Rádio do Vaticano, Lombardi falou dos “sacrifícios” que o acordo imporá à arquidiocese de Los Angeles, que terá de vender seu patrimônio imobiliário, inclusive a sede do arcebispado, e recorrer a seguradoras e a várias ordens católicas. Embora todos os casos de pedofilia sejam graves, não se pode generalizar o problema e dar a entender ao povo que é uma epidemia no clero da Igreja. Segundo o jornal ”La Stampa”, dos 150 mil sacerdotes e religiosos que serviram à Igreja Católica americana durante os anos 70 e 80, cerca de 500 foram acusados por pedofilia, o que representa 0,03% do clero do país. (Reuters, Por Philip Pullella, 17 Jul 2007)

O jornal “Folha de São Paulo”, em 08 fev 07, no artigo “Polícia da Áustria descobre rede global de pedofilia”, afirma que “Autoridades da Áustria anunciaram a descoberta de uma rede global de pornografia infantil envolvendo ao menos 2.361 suspeitos de 77 países, em uma operação precedentes na história criminal austríaca”. De acordo com o ministro do Interior da Áustria, Günther Platter, estão sendo investigados, em seus respectivos países, 600 americanos, 400 alemães, mais de cem franceses

Philip Jenkins, professor de Estudos da Religião da Universidade Estadual da Pensilvânia, afirmou que “Os casos de pedofilia propriamente dita são poucos, mas isso poderia ser uma abertura para falar de outros assuntos complicados para a Igreja, como o homossexualismo, por exemplo” (Veja 02.05.2002 – Pedofilia ).


COMENTARIO DO COLUNISTA:

Como podem ver a pedofilia e muito mais complicada e enraizada na sociedade do que imaginam alguns “entendidos” sendo esta uma pratica muito antiga, agora ganhou força como algo detestável aos olhos do povo, mas como esta no texto um pouco acima nem sempre ela foi considerada crime, ou ainda, era muito praticada mesmo entre a família.

 Mas abordei este tema porque depois de ler algumas paginas na internet vi vários absurdos falados de pessoas que mostram de maneira embrutecida, falta de conhecimento sobre o assunto.  Falar sobre este tema deveria ver em primeiro caso quem foi vítima do mesmo, porque tenho observado muito “achismo” ou ainda muita revolta principalmente contra os padres ( não que eu ache certo) mas falar de um assunto como este por rancor ou raiva e fixar em apenas uma classe e no mínimo ridículo, pois esquecem do ser humano como gente e pessoa , falar sobre pedofilia , mas focar nos padres e deixar todo o universo existente de pedófilos impunes. Sabe-se que alguns padres foram acusados sim, mas e os pais, padrastos, irmãos, parentes, “amigos da família”.  È um assunto polemico sim, muitas vezes embaraçoso de comentar, mas e algo que existe na sociedade, mas algo que deveria acabar e não é como alguns protestantes fazem que vai resolver não, porque eles falam de pedofilia sim , mas pedofilia dos padres e não da sociedade como um todo. Sendo esta forma uma maneira detestável de abordar um tema tão psicologicamente dramático como este, pois de alguma forma critica os padres sim, mas por não comentar sobre os pedófilos de maneira geral da a entender que é um tema exclusivo dos padres o que não é verdade, pois o que ocorre de fato e que o,3%dos padres foram acusados de pedofilia  estatisticamente um numero pequeno comparado aos outros 99,97% que se distribuem pela sociedade.

  

  Papa se diz 'indignado' sobre padres pedófilos na Irlanda

Bento XVI enviará carta aos fiéis irlandeses e assegurou que a Igreja continuará investigando os casos


O papa Bento XVI disse estar "angustiado e indignado" após analisar o relatório sobre os abusos de menores por padres católicos na Irlanda e compartilha com os fiéis desse país a "indignação, a traição e a vergonha" por esses crimes sexuais cometidos durante anos.



O papa Bento XVI disse estar "angustiado e indignado" após analisar o relatório sobre os abusos de menores por padres católicos na Irlanda e compartilha com os fiéis desse país a "indignação, a traição e a vergonha" por esses crimes sexuais cometidos durante anos.



 informação foi divulgada pelo Vaticano em comunicado, após a reunião que o papa manteve nesta sexta-feira, 11, com representantes da Conferência Episcopal Irlandesa para analisar os abusos cometidos durante anos contra menores no país.

Bento XVI, segundo o comunicado, deve enviar uma carta pastoral aos fiéis da Irlanda e assegurou que a Igreja continuará investigando estes "graves casos".
"Após um atento estudo do relatório, o papa está profundamente angustiado e indignado por seu conteúdo. O pontífice deseja expressar mais uma vez seu profundo pesar pelas ações de alguns membros do clero, que traíram suas solenes promessas a Deus assim como a confiança depositada nele pelas vítimas e suas famílias e pela sociedade em geral", apontou o comunicado.

Bento XVI compartilha "a indignação, a traição e a vergonha que muitos fiéis sentem na Irlanda e se une a eles com a oração neste difícil momento na vida da Igreja", segundo o comunicado.
O papa pediu aos católicos irlandeses e de todo o mundo que se unam a ele na prece pelas vítimas, por suas famílias e por todos aqueles afetados "por esses crimes atrozes".






Um comentário:

  1. Caiafarsa
    Just another WordPress.com weblog
    Pedofilia é maior nas Igrejas Protestantes (FONTE PROTESTANTE)
    Pedofilia é maior nas Igrejas Protestantes (FONTE PROTESTANTE)
    Abuso sexual abrange todo espectro de igrejas
    Por Mark Clayton , escritor do staff do The Christian Science Monitor
    5 de abril de 2002.

    Apesar das manchetes enfocando o problema de padres pedófilos na Igreja Católica Romana, a maioria das igrejas americanas sendo atingidas com denuncias de abuso sexual de crianças são Protestantes, e a maioria dos abusadores denunciados não são clero ou funcionários , mas os voluntários da igreja.

    Estes são os resultados das pesquisas nacionais feitas por Christian Ministry Resources (CMR), um conselho fiscal e editor legal servindo mais de 75.000 congregações e 1.000 agências denominacionais por todo o país.

    Pesquisas anuais do CMR de cerca de 1.000 igrejas em todo o país têm perguntado sobre o abuso sexual desde 1993.

    Elas são uma janela notável sobre um problema que se escondia nas sombras, em grande parte da opinião pública até que os escândalos católicos surgiram.

    As pesquisas sugerem que, durante a última década, o ritmo das denuncias de abuso infantil contra igrejas americanas foi, em média 70 por semana.

    Os inquéritos registraram uma ligeira tendência de queda nos abusos relatados a partir de 1997, possivelmente em resultado da introdução de medidas preventivas pelas igrejas.
    “Eu acho que os números do CMR são impressionantes , mas bastante razoável”, diz Anson Shupe, um professor da Universidade de Indiana que escreveu livros sobre abusos na igreja.

    Das 350.000 igrejas nos Estados Unidos , 19500 – 5 por cento – são católicas romanas.

    Igrejas católicas representam ligeiramente uma pequena minoria de igrejas nas pesquisas CMR que não são cientificamente aleatórias, mas “representativas” amostras demográficas das igrejas, explica Dr. Cobble.

    Desde 1993, em média, cerca de 1 % das igrejas pesquisadas relataram denuncias de abusos anualmente.

    isso significa que, em média, cerca de 3.500 denúncias por ano, ou quase 70 por entre o grupo predominantemente protestante, diz Cobble.
    .
    http://www.csmonitor.com/2002/0405/p01s01-ussc.html
    .
    http://www.csmonitor.com/2002/0405/p01s01-ussc.html/(page)/2
    CAI A FARSA

    ResponderExcluir